Visto canadense ou eTA: de qual você precisa?


Entenda as diferenças básicas entre os tipos de visto e também sobre Autorização Eletrônica de Viagem (eTA). Mitos e verdades em se tratando de permissão de entrada e permanência no Canadá.

Cada projeto de viagem para o Canadá, seja passeio, estudos ou trabalho, pede um tipo diferente de visto ou de autorização de entrada. Cada documento garante permissões e limites diferenciados. Cuidado para não cair em ciladas e perder o seu direito de entrar e/ou permanecer no Canadá por descuido. Resolvemos escrever esse post sobre as diferenças de cada visto para que você aproveite com tranquilidade e segurança a sua estada no Canadá. Vamos lá!

  • Autorização Eletrônica de Viagem (eTA)

Essa novidade já era muito esperada pelos brasileiros e finalmente entrou em vigor em 1º de maio. Muitos brasileiros agora não precisam mais do visto canadense para entrar – por via aérea – no país. Como assim muitos brasileiros, o eTA não vale para todo mundo?

Na verdade o eTA não atenderá todos os brasileiros.

Mito: Brasileiros não precisam mais de visto para o Canadá.

Verdade: Apenas brasileiros com visto canadense anterior (últimos dez anos) ou visto americano válido poderão aplicar para o eTA. Como já foi mencionado acima, o eTA atendende brasileiros entrando no país apenas por via aérea. Caso você tenha planos de, estando no Canadá, visitar os Estados Unidos de carro, você continua precisando do seu visto de turismo.

Mito: Posso permanecer no Canadá com o meu eTA até o final da validade da minha autorização.

Verdade: Com o eTA, o turista brasileiro poderá ficar no país até 180 dias, sendo autorizado a estudar inglês ou francês pelo período.

Importante: a validade do eTA acompanha a validade do passaporte ou expira em 5 anos. O documento também permite múltiplas entradas.

  • Visitor Visa (V-1)

O visto de turista para brasileiros acompanha a validade do passaporte brasileiro, menos 1 dia. Em cada estada, o turista brasileiro também poderá ficar até 180 dias no país, conhecendo de leste a oeste sem nenhum problema. Mesmo com passaporte e visto válidos, o número de dias será determinado pelo oficial de imigração no momento da sua entrada no país.

Documentos necessários: veja o nosso post completo sobre o Caminho das Pedras: como tirar o visto de turismo canadense.

Mito: Brasileiros não precisam mais de visto para entrar como turistas no Canadá.

Verdade: A regra do eTA não é tão nova assim e já era aplicada para Brasileiros com passaportes de países participantes do Programa de Isenção de Visto.

  • Residente Temporário/Autorização de Estudos (SX-1)

Estudantes matriculados em programas acadêmicos de curta duração (inferiores a 180 dias) recebem um visto de até 180 dias para estudos. A mesma regra se aplica para o eTA. O tempo de permanência é concedido pelo oficial de imigração na chegada do estudante ao Canadá, normalmente baseado na Carta de Aceitação fornecida pela instituição acadêmica.

Visto de turismo e SX-1 exigem a mesma documentação. Dúvida: acesse o nosso Caminho das Pedras: como tirar o visto de turismo canadense.

Não dê ouvidos a tudo que falam por aí!

Mito: Já me disseram que eu posso estudar inglês em um turno e trabalhar no café do meu bairro no outro turno.

Verdade: Estudantes de línguas não podem trabalhar de forma alguma, independentemente da duração do curso.

Resumindo: Se você não entra nas novas regras do eTA e pretende estudar inglês ou francês no Canadá, você precisa de um SX-1!

  • Permissão de Estudos (S-1)

Para programas acadêmicos longos (com duração mínima de dois semestres e carga horária full time), o seu visto será concedido de acordo com a duração do curso declarada na Carta de Aceitação concedida pela instituição acadêmica.

Documentos necessários: veja o nosso post completo sobre Study Permit (S-1). Lá, além da documentação, você encontrará dicas muito bacanas para aumentar a suas chances de conseguir o seu visto.

Cuidado com as armadilhas...

Mito: Finalmente consegui um S-1 de looooonga duração e vou ter autorização para trabalhar 30 horas semanais no emprego que meu amigo já está conseguindo pra mim!

Verdade: Brasileiros com S-1 podem trabalhar 20 horas sema​nais durante o período de aula e 40 horas semanais nas férias. Mas lembre-se, estudar no Canadá é muito puxado! Você terá que dedicar longas horas de estudo em casa para acompanhar o programa.

  • Permissão de estudo e trabalho (SW)

Estágios profissionalizantes atrelados a programas acadêmicos (Co-Op) implicam em autorização dupla, de estudo e trabalho (SW), que também têm validade vinculada à duração do programa.

Documentos necessários no nosso post Study Permit (S1 e SW): muita atenção nessa hora. No post você encontrará dicas sobre como consolidar uma documentação quase à prova de recusas.

Não acredite nesses mitos! A verdade é mais segura!

Mito: É muito fácil conseguir o emprego dos sonhos no Canadá.

Verdade: Na verdade não é bem assim. Enquanto você estiver estudando, o mais provável é que você tenha empregos simples – lanchonetes, lojas, bibliotecas, escolas. A remuneração nesses casos é baseada no salário mínimo por hora.

  • Open Work Permit

Esse tipo de visto é concedido a pessoas que estão acompanhando o cônjuge que está cursando um programa acadêmico de longa duração (vistos SW ou S1). Esse visto é Open apenas para o tipo de trabalho que o cônjuge poderá se dedicar, mas a validade está atrelada ao visto do aplicante principal – o estudante.

Mito: Consegui o Work Permit e agora meu cônjuge não precisa mais estudar.

Verdade: Nesse caso os vistos são atrelados e caso uma das partes não cumpra o combinado, a outra parte perde o visto!

Em 2016 houve uma mudança significativa na concessão do Work Permit. Veja as novas regras no post Atenção para as regras do Governo Canadense para emissão da permissão de estudos para estrangeiros.

  • Super Visa

Para facilitar a visita de familiares aos parentes que são residentes permanentes no Canadá, o governo lançou o Super Visa, que permite que os visitantes permaneçam por até 2 anos no país.

Hoje sabemos que há algumas controvérsias em relação aos benefícios do Super Visa, principalmente pela necessidade de manter um seguro de viagens com altos valores de coberturas, pelo período mínimo de 1 ano – mesmo que a viagem seja comprovadamente mais curta. Além disso, há necessidade de comprovação de vínculos com o Brasil e de situação financeira dos convidados e de quem irá acolher os visitantes – existe uma tabela de ganhos mínimos conforme o número de membros da família anfitriã.

Mesmo sendo uma situação de ‘turismo’, os convidados devem apresentar exames médicos realizados em médicos credenciados pelo governo canadense. Nossa dica, antes de optar pelo Super Visa avalie se esse é realmente o visto para você. Em caso de dúvidas, a Global Mission e a Klaps Immigration estão à disposição para consultas.

Mito: O Super Visa é uma excelente opção para todos os brasileiros que viajam frequentemente para o Canadá.

Verdade: Há que se avaliar se o Super Visa é realmente a melhor opção, pois tempo de estada, frequência da viagem, entre outros fatores irão influenciar bastante na decisão.

Nós podemos te ajudar com o seu projeto para o Canadá. Esperamos ter esclarecido as diferenças – grandes e pequenas – entre os tipos de visto que você deverá escolher, de acordo com as suas intenções. Precisa de ajuda? Fale conosco!

#Vistocanadense #Vistodeturismo

4,726 visualizações

Instituições parcerias no Brasil:

unimar.jpg
intercambio-marista.png
0a246d3928fcc413a450059943c3b96c769d4296
cooplem.png
    Cultura-Francesa.jpg